25 de agosto de 2013

Cinemateca, Globo e SBT abriram acervo

As imagens que compõem as biografias retratadas na série Damas da TV são resultado de um tour pelos acervos da Globo - do mesmo grupo ao qual o Viva pertence -, do SBT e da Cinemateca, onde restam cenas da Tupi. Do SBT, o professor Hermes Frederico, idealizador e produtor da série, obteve cenas de Éramos Seis, a produção mais requintada da TV de Silvio Santos no ramo, para o depoimento de Irene Ravache.
Hermes contou ainda com a boa vontade da Pró-TV, que reúne veteranos e relíquias da história da TV, comandada por Vida Alves, atriz eternamente conhecida como protagonista do primeiro beijo na TV brasileira.
Fotos e detalhes dos depoimentos completam o mosaico. Glória Menezes lembra que, em 1963, o expediente de gravações acontecia à noite, sempre após o fim da programação ao vivo. Na trama, ela era a presidiária Emily, já fazendo par com Tarcísio Meira. "A gente gravava quando a Excelsior saía do ar, à meia-noite. Trabalhávamos até às 7, 8 horas da manhã. As gravações aconteciam toda a noite, porque precisávamos usar as câmeras e o espaço da emissora."
Nathalia Timberg, que vivia a freira Sóror Helena da Caridade, protagonista de Direito de Nascer (1964/1965), lembra que teve de passar pela multidão no Maracanãzinho, no dia da festa de encerramento, no Rio, e com um gesto acalmou o público. "Posso dizer que tive a honra de parar uma multidão com a mão."
Regina Duarte recorda de Selva de Pedra, quando a audiência alcançou seu ponto máximo e, no dia seguinte, só se falava nisso. "O País só tinha futebol e telenovela, o País vivia uma ditadura, não dava para falar de outra coisa." / C.P.

Este Post é

0 Comentários:

Postar um comentário