9 de outubro de 2013

Televisa abre escritório no Brasil

http://www.bbc.co.uk/worldservice/assets/images/2009/12/02/091202051702_sp_televisa_other_226x170.jpg 
A Televisa, que atua há bastante tempo no Brasil em parceria com emissoras abertas, está abrindo seu primeiro escritório no pais, em São Paulo, com equipe própria. A sede deve estar com local e equipe definidas até o final deste ano. O advogado José Maurício Fittipaldi deixou o escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados e será o diretor geral de negócios para o Brasil da gigante mexicana. “Isso marca a entrada da Televisa com um objetivo de longo prazo no Brasil”, disse a este noticiário. “A empresa quer participar do boom que a produção está vivendo no país”, completa. A ideia é ter uma presença permanente, para trabalhar com os diferentes parceiros, sejam produtores independentes ou emissoras abertas e canais pagos.

Fittipaldi deixa claro que não estão nos planos da Televisa comprar, abrir ou operar canais de TV no país. A empresa, através do seu braço de distribuição, oferece no Brasil canais internacionais de TV paga, mas este é outro aspecto do negócio e continuará sendo negociado pela mesma equipe atual no México.

O propósito principal, diz Fittipaldi, é fazer coproduções. “A gente traz dois ativos importantes: a capacidade de desenvolver conteúdos com foco na entrega de audiência e o know-how de produzir com custos controlados, resultado econômico e posicionamento global”, diz.

A ideia é ir além das novelas, gênero no qual a Televisa tem grande penetração no mundo, desenvolvendo também séries e formatos. A empresa deve usar suas histórias, já testadas em diversos mercados, em adaptações locais para a TV paga, transformar por exemplo um enredo de novela em uma série.

Poderão ser feitas parcerias com produtores independentes ou diretamente com canais. “Os modelos são abertos. O negócio da Televisa é explorar suas propriedades intelectuais, seja com a obtenção de patrocínio, commissioning, comercialização”, disse o diretor. É um modelo parecido com o dos estúdios americanos, em que a Televisa entra com uma composição de recursos, financeiros ou não (pode ser com roteiro, know-how etc) e participa da exploração deste conteúdo em diversos mercados, inclusive em seu portfólio internacional.

A Televisa não tem hoje mais acordos fixos com emissoras de TV brasileiras. O acordo com a Record expirou em agosto e não foi renovado. Agora a mexicana apenas vende conteúdos para a emissora paulista.

André Mermelstein, de Cannes.

Fonte: Tela Viva.

Este Post é

0 Comentários:

Postar um comentário