6 de novembro de 2014

Record fez SBT acreditar que assédio a César Filho não existia; conheça detalhes dos bastidores desta negociação

A saída de César Filho não foi muito bem digerida por alguns setores do SBT, que consideram uma traição o fato do jornalista ter assinado com a Record antes de comunicar os diretores da Anhanguera. O problema é que o contrato de César Filho com a emissora de Silvio Santos era por prazo indeterminado; ou seja, podia ser rompido a qualquer momento desde que as partes sejam avisadas com um prazo estabelecido entre os dois.

O namoro da Record com César Filho não foi percebido pelo alto comando do SBT. Há quem afirme que numa conversa entre executivos das duas emissoras o assédio foi negado, o que gerou certo conforto na Anhanguera e a certeza de que tudo não passava de um blefe para alterações contratuais. A Record conseguiu despistar a negociação ao colocar o vice-presidente de jornalismo, Douglas Tavolaro, na linha de frente e não o responsável pelo artístico, Paulo Franco. Com um lado relaxado, a Record intensificou a conversa com César Filho, aumentou salário, ofereceu um reality show e a possibilidade da contratação de sua mulher. Com isso, transformou o namoro num pedido irrecusável de casamento.

Não é a primeira vez que a Record consegue despistar o SBT em suas negociações com artistas da emissora de Silvio Santos. Esta foi uma estratégia muito semelhante a adotada com Gugu Liberato.

Fonte Vanucci

Este Post é

0 Comentários:

Postar um comentário