2 de janeiro de 2015

Com agenda lotada de trabalhos, João Gabriel Vasconcellos comemora sucesso de Armando, em “Chiquititas”

joao1a
O ator João Gabriel Vasconcellos está com a agenda lotada para 2015. Além de dar vida a Armando, em “Chiqiuititas”, ele está nos palcos cariocas com o espetáculo “Saltimbancos Trapalhões”, ao lado de Renato Aragão, e se prepara para gravar duas séries para a TV por assinatura. O ator também é sócio num FoodTruck que será lançado no primeiro trimestre deste ano. Talvez pela agenda lotada é que costuma afirmar que prefere “me dedicar e deixar o destino conduzir minha trajetória”. Para ele, o artista tem função social, já que “serve de exemplo, negativamente ou positivamente”.

Veja abaixo a entrevista concedida pelo ator:

Você faz uma espécie de vilão, o cara que estraga tudo, que tem inveja e ações ruins. Como a garotada reage a isso?

 As crianças entendem bem. Não me confundem com o personagem. Sempre demonstram carinho e admiração. Fazer um trabalho voltado pra eles é muito legal, a abordagem é sempre inusitada.

Muitas mães que assistem “Chiqiuititas” “suspiram” por você. Ser um homem bonito ajuda ou atrapalha na profissão?

 (risos) Agradeço o carinho das mães! Acho que pra quem se acha bonito, atrapalha. A vaidade pode ser um grande empecilho pra profissão de ator. Apesar da beleza abrir muitas portas, acho que a escolha do elenco depende muito mais do perfil que estão procurando, não necessariamente da beleza.

Como você escolhe um personagem, um trabalho?

Não depende só do personagem, depende de tudo que envolve o projeto, da minha relação com ele e do meu tempo também, porque preciso focar em cada trabalho, não dá pra fazer nada pela metade, se não estiver inteiro ali não faço o meu melhor. Sinto que o personagem é que escolhe o ator e não o contrário.

Sua estreia no cinema foi com o polêmico “Do Começo ao Fim”, que lhe rendeu boas críticas. Como foi a escolha deste trabalho? O ator precisa não ter medo de personagens?

Quis muito contar essa história. Nem precisei de coragem porque não pensei no medo; não tinha noção da repercussão. O artista tem grande função social, serve de exemplo, negativamente ou positivamente. Acredito ser fundamental para um bom artista conduzir sua vida pessoal e seus trabalhos sem se esquecer disso e nesse sentido, me orgulho de ter participado desse filme.

Quando você projeta sua carreira, aonde quer chegar? Tem alguns personagens obrigatórios?

Antes de mais nada, espero que minha vida pessoal esteja bem, se não o resto não funciona. Estou bastante focado. Corro muito atrás do meu sucesso profissional porque amo muito o que faço e espero que o melhor venha. Prefiro me dedicar e deixar o destino conduzir minha trajetória.

Cinema, teatro ou TV?

Os três. Um complementa o outro. Cada um tem seus prazeres e suas dificuldades, mas todos acrescentam na minha formação e evolução.

Quais os projetos para 2015?

Chiquititas vai até junho no ar. Estou em cartaz com “Saltimbancos Trapalhões”, ao lado de Renato Aragão. Ficamos em cartaz no Rio de Janeiro, inicialmente até abril e depois vamos fazer temporada em São Paulo. Começo a gravar em janeiro a série “Acredita na Peruca” do Multishow, dirigida por Charles Moeller e Claudio Botelho e estrelada por Luis Fernando Guimarães. Rodo também a terceira 1temporada da série “O Negócio” da HBO, aguardo o lançamento de dois longas, “O Duelo” e “Como você quer seu casamento”; e da segunda temporada da série “Se Eu Fosse Você”, da FOX. Além do trabalho como ator, em fevereiro de 2015, vou inaugurar em SP, ao lado da minha mulher e mais dois sócios (dentre eles Letícia Navas, que também participa de novela), um FoodTruck de lanches e comidas naturais chamado Posto 9 FoodTruck (@Posto9FoodTruck).


Fonte Parabólica JP

Este Post é

0 Comentários:

Postar um comentário