30 de julho de 2015

Advogada quer proibir “mensagem subliminar” da Jequiti durante “Carrossel”

carrossel
A prática de fazer inserções publicitárias de produtos da marca Jequiti durante programas de sua grade pode estar com os dias contados em algumas atrações do SBT. Pelo menos se depender da advogada baiana Roxana Cardoso Borges.

Ela ingressou representação no Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o canal de Silvio Santos por se sentir incomodada com o fato de sua filha, telespectadora da novela “Carrossel”, assistir às peças — consideradas mensagens subliminares — sobre a empresa de cosméticos.

“Eu ingressei com a representação como mãe, não como advogada. Eu assistia à novela com minha filha, quando comecei a perceber que eles lançavam as peças publicitárias durante as cenas, sem nenhum tipo de anúncio de que aquilo é uma publicidade”, disse em entrevista ao site “Bahia Notícias”.

Roxana explicou que o público infanto-juvenil não tem discernimento para diferenciar a novela dos anúncios: “Não é só a exposição à publicidade. É a questão da publicidade de má-fé. No caso de Carrossel, era acintosa a má-fé. Publicidade existe, mas temos que demarcar bem cada um. Na TV fechada, ela existe, mas é durante o intervalo comercial, sabemos que se trata de publicidade”.

Este Post é

0 Comentários:

Postar um comentário